De Segunda a Sexta – 06h às 07h

FM Maior 93.3 Ao Vivo

De Segunda a Sexta – 06h às 07h

saúde

Carrinho de supermercado, celular ou porta escova de dentes: quais são os 5 objetos mais sujos do nosso dia a dia?

98021193-eco-sao-paulo-sp-11-03-2022-alta-dos-precos-faz-supermercados-mudarem-identidade-vi

Celular, uma pilha de roupa suja e até o carrinho de supermercado estão cobertos de bactérias que podem causar infecções e outros problemas de saúde duradouros. Segundo um estudo recente, as pessoas costumam pegar no telefone quase 100 vezes ao dia e o dispositivo abriga 10 vezes mais bactérias do que um assento de vaso sanitário comum.

Confira alguns lugares comuns e muitos usados que podem carregar dezenas de bactérias e as pessoas nem imaginam:

Carrinho de supermercado

O médico Kunal Sood, de Maryland, postou um vídeo no TikTok para seus mais de 2 milhões de seguidores revelando que o carrinho de compras do supermercado é coberto de matéria fecal e contém mais bactérias do que um assento de vaso sanitário. Segundo ele, o objeto pode ser fonte de infecções que causa feridas e erupções cutâneas nas mãos, pés e boca.

Um estudo realizado pela Universidade do Arizona mostrou que mais de 75% dos carrinhos de compras testaram positivo para bactérias fecais. Como recomendação, Sood, disse que as pessoas deveriam passar um pano desinfetante no carrinho antes de usá-lo.

Celulares

Segundo um estudo feito pela empresa de carreiras Zippia, o americano médio verifica o telefone cerca de 96 vezes por dia, ou uma vez a cada 10 a 12 minutos. Outro estudo publicado na revista Germs descobriu que os celulares de estudantes do ensino médio estavam cheios de 17 mil cópias de genes bacterianos.

Leia também:  Bebe vinho ou cerveja? 'Imposto do pecado' pode tornar algumas bebidas mais caras

Enquanto um estudo da Universidade do Arizona mostrou que os telefones celulares têm 10 vezes mais bactérias do que a maioria dos assentos sanitários.

Segundo especialistas, a melhor forma de evitar este tipo de contaminação é manter as mãos sempre higienizadas e limpar com frequência o aparelho. Não há como mensurar o nível de contaminação, mas é uma superfície altamente contaminada.

A higienização pode ser feita com pano seco, para remoção mecânica das bactérias e depois um pano molhado com álcool isopropílico, que é um produto que retira quase 100% das bactérias e também é um produto utilizado para limpar placa de celular. Não se deve usar álcool, acetona, alvejantes ou produtos à base de sabão.

Porta escova de dentes

Embora especialistas garantam que, para evitar que as escovas de dentes acumulem bactérias, é necessário um objeto que cubra as cerdas, este porta escova pode carregar milhares de bactérias que são nocivas à saúde.

Isso porque eles raramente são limpos e ao entrar em contato com uma escova de dente molhada, pelo menos duas vezes ao dia, essa umidade permite o crescimento de fungos e mofo.

As descobertas da organização independente de saúde pública NSF International mostraram que mais de um quarto dos portadores de escovas de dentes abrigam bactérias como a E. Coli, que são encontradas, em alimentos não higienizados corretamente, e que causam infecções estomacais e intoxicação.

Leia também:  Bebe vinho ou cerveja? 'Imposto do pecado' pode tornar algumas bebidas mais caras

Xícaras de café para escritório

Um estudo da Universidade do Arizona sugeriu que A xícara de café que as pessoas costumam lavar apenas no final do dia, guardadas no escritório da empresa, é um grande refúgio para germes. Isso pode ser devido às esponjas de cozinha comunitárias que raramente são trocadas, que transportam bactérias coliformes, como a E. coli.

Segundo especialistas, adicionar açúcar e creme ao café pode levar ao surgimento de mais bactérias porque o líquido estagnado pode estimular o crescimento de patógenos ambientais, especialmente mofo.

As pessoas podem evitar a proliferação levando a caneca para casa e colocando-a na máquina de lavar louça. O vapor e o calor elevado podem matar as bactérias.

Lavanderia

A lavanderia tem como objetivo remover sujeira e contaminantes das roupas, uma pesquisa publicada na revista Applied and Environmental Microbiology mostrou que vários vírus podem sobreviver ao ciclo de centrifugação. Os pesquisadores descobriram que adenovírus, rotavírus e hepatite A sobreviveram através da lavagem e secagem.

Os adenovírus são um grupo de doenças respiratórias que causam tosse, febre, coriza e pneumonia. Enquanto o rotavírus é altamente contagioso e geralmente afeta crianças menores de cinco anos. Isso causa diarreia intensa, vômitos e fezes pretas.

Se as roupas ficarem molhadas por mais de 30 minutos, é melhor fazer outro ciclo em calor alto para matar os germes restantes. Além disso, se você estiver dobrando roupas limpas sobre uma superfície, limpe-as primeiro.

O Globo

Compartilhe essa notícia:

Outras notícias

Mais lidas

plugins premium WordPress